Sunday, 9 December 2018

... 'Till touch down brings me round again to find, I'm not the man they think I am at home, oh no, no no I'm a rocket man ...

Sunday, 2 December 2018


Tuesday, 27 November 2018

Bayern München 5 - 1 SL Benfica (Allianz Arena)

Pois é Laudrup ... para efeitos de exibição nada do que aconteceu em Munique foi surpreendente. Já o resultado foi pior do que o previsto, mesmo tratando-se do Benfica, quando a goleada até poderia ter sido mais severa (ainda bem que não foi). Para agravar a expectativa de um confronto desequilibrado pelo futebol quase-insignificante / totalmente medíocre que este Benfica pratica, o Bayern conta por empates e derrotas metade dos jogos que fez na Bundesliga, contexto que faz (e fará) os seus jogadores actuar na Liga dos Campeões mais descontraídos e inspirados, vista a oportunidade para esquecer(em) por momentos a competição doméstica. Niko Kovač resumiu o jogo de forma perfeita, em declarações à televisão do seu país: "Este era o jogo e o resultado que precisávamos, o Benfica veio na altura ideal, agora temos de nos concentrar na recepção ao Mainz que será incrivelmente mais difícil. (Satisfeito?) Muito satisfeito. Fomos dominadores, o Benfica não existiu, estamos a 45% do nosso potencial." Na mesma toada, Arjen Robben: "Não fizemos um jogo perfeito mas os nossos adeptos mereciam uma festa bonita. Uma palavra para o Benfica que trabalhou muito para não sofrer mais. Temos de ser solidários, mas hoje fomos Bayern." Amigos, estais recordados quando há pouco tempo no Benfica (adeptos e não só) se usaram em anos consecutivos de duas finais Europeias perdidas para desconsiderar / manchar / denegrir o trabalho absolutamente fenomenal duma equipa técnica comandada por um treinador genial que mais do que voltar a fazer do Benfica um grande tornou-o dominador? Pois claro, agora têm o que merecem, que é exactamente igual ao que tinham antes (e depois) de Jorge Jesus: um rotundo nada. Lamentavelmente, sem qualquer intenção de achincalhar (mais) uma prestação desta equipa, também é preciso recordar que após os tempos longínquos de Vigo, de Paulo Bento, de Toni ou de qualquer uma das várias deslocações do FCP de / do bom Jesualdo ao terreno do Arsenal, só mesmo o actual Benfica nos mostra uma equipa portuguesa fazer tão pouco e perder por tantos, o mesmo que já se vira esmagado em Dortmund (4-0) em 2016/17. Esperemos que na quinta-feira Marcel Keizer se revele capaz no Azerbeijão de anular o desprestígio construído pelo Benfica que mais uma vez abalou o futebol português.

O Sporting já está a caminho de Baku. (Redigido na caixa de comentário do Lateral Esquerdo.)

Friday, 23 November 2018

Sunday, 4 November 2018

Que sentido faz contratar um treinador que por mais qualidade que tenha (não faço ideia se tem ou se não tem), não tem forma de comunicar verbalmente com os seus jogadores? Ridículo.

Friday, 2 November 2018

Manuel H: This is interesting. I can see the point he makes -- bringing religion back could serve as an antidote for the process -- but didn't find it compelling, seeing that religious organisations are one of the main allies in the chain he described, constantly interpreting alternative ideologies as legitimate and welcome. And this isn't just true of leftist ideologies. Finland is actually a good example. They'd qualify as the functional allies / useful idiots Bezmenov describes.

Manuel H: Ron, we can use our (inbuilt) genetically wired morals and make sure they aren't corrupted. Watching the behaviour of any toddler before she or he are exposed to their parents' gibberish is sufficient to show us there isn't a stronger base for morality than that one. It isn't a perfect system but it takes us further than any other. That system is attached to our genes and is what makes any 0-4 year-old react lovingly to love, smile when well treated, feeling sad or fearful when ill-treated, and so forth. Problems arrive later when grown-ups start messing about with their intuitions.

Manuel H: Ron, neither the 10 commandments are a source for moral behaviour nor people (of any sort) need Kant's ethical scheme to behave morally. More importantly, suggesting that "for the majority of simple population the best source for morals is A", whereas "for educated people is B", is nonsensical and suggests moral confusion ...

Manuel H: I'm sorry, Ron, but your confusion isn't washed away by your arrogance. Arrogance is a close friend to ignorance, as to why you're displaying both.

Manuel H: I know you're done here. That's evident.

Manuel H: "We have only so many rights and freedoms as the environment in which we live enable us to have."
And that's why some people are born with A-Z rights while others aren't, just like the natural rights of animal species vary across species (the right to life / not to be eaten, for example), and from non-human species in relation to humanoids. The only rights inherent to us are the biological traits we are born with. Can we see them as rights? I think we can, but not as universal. Example: someone born with two arms and two legs has the natural right to use them in his or her benefit, but we cannot decree that humans as a whole have the universal right to two arms and two legs (some people are factually born without two of each).
Rights are a social construct agreed upon communities, and that's why they need to be written down. If rights were natural we wouldn't need charts and bills specifying them. Some communities are better than others in the rights they foresee for their participants, fortunately for some, unfortunately for others, and although said rights aren't inherent but received through the manner of agreement / declarations / laws, they are inherited (this distinction matters), for as long as the agreements or declarations are not revoked. If we are born in part A of the world (Europe), we inherited from our community a set of given rights that we will hopefully, in turn, make sure they're passed on to the next generation.

Sunday, 9 September 2018

Uma vez eleito, Frederico Varandas, o Sporting adquirirá:

i) normalidade, aparência, forma, propriedade importante já que o presidente do clube é em muitos círculos o seu primeiro, último e único representante.
ii) qualidade intelectual e intuição (conteúdo), universo do qual se subtraem decisões.
iii) competências, indispensáveis no processo, ou como vamos de A para B, inseparáveis de real conhecimento.

Apesar de diferentes, Frederico Varandas e João Benedito prometiam ao Sporting o que há muito lhe faltava: alguém no topo da pirâmide de índole boa com suficiente intuição e simultaneamente conhecedora da principal actividade à qual o clube se dedica — futebol.
Outrossim, ambos possuíam / possuem qualidades humanas indispensáveis na relação com os atletas do clube, ingrediente fundamental para o seu rendimento (plural), em referência às muitas modalidades que o clube pratica.
Relativamente ao passado muito próximo (mas também distante), a gestão desportiva do Sporting melhorará da noite para o dia. No meu tempo de vida, arriscarei dizer, este é o primeiro presidente que o Sporting tem no qual me revejo.

Sabe muito bem sentir novamente orgulho neste clube.

Monday, 23 July 2018

Aqui e aqui, dois presidenciáveis aptos e de índole especialmente boa. Olhada a qualidade que transparece, os sportinguistas terão uma escolha difícil pela frente. É garantido que a normalidade e a avidez regressarão ao clube.